Site Meter

 

A Torre de Babel

"Asseguram os ímpios que o disparate é normal na Biblioteca e que o razoável (e mesmo a humilde e pura coerência) é quase milagrosa excepção."

Jorge Luís Borges, A Biblioteca de Babel

 

 

quarta-feira, agosto 24, 2005

Tempo Perdido


The Skeleton Key ou, em português, a Chave (note-se, não a Chave Mestra, que seria a tradução não só mais literal como mais consentânea com o conteúdo cognitivo que se pretende no título original, mas isso é o pão nosso de cada dia) é uma má maneira de passar 104 minutos.

Tirando o trabalho de Kate Hudson, que se afirma como uma actriz com um enorme futuro à sua frente, quase tudo o resto era dispensável. A história é fraquita, pouco original, e mal contada. Tirando uma breve e tímida apresentação do imaginário do Sul nada de verdadeiramente interessante há a registar.

A fotografia escapa, mas não impressiona. A nível de guarda-roupa e continuidade a falta de cuidado é gritante, e isso é sintomático do cuidado posto na produção. Nenhum. Basta ver que, na imagem final, é dado um enquadramento à casa que é o cenário central da acção que desmente o que é mostrado durante todo o filme.

Iain Softley é um realizador que se estreou com "Backbeat", e que ainda tem nesse filme o seu melhor trabalho. Ainda não foi desta que se superou.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home